Linha de produtos

  • Cabeçotes para motores a gasolina e diesel em automóveis e veículos utilitários
  • Pelados com guias de válvula e anéis de assento da válvula ou prontos a montar com válvulas e eixo comando

Produto em foco - Vantagens

  • Nos motores de combustão, o cabeçote delimita a câmara de combustão acima dos pistões.
  • O cabeçote contém os componentes essenciais ao comando mecânico da troca de gases, como:
    • canais de entrada e saída
    • válvulas e acessórios
    • balancins ou balanceiros ou tuchos de copo.
  • O cabeçote é um dos componentes mais complexos do motor que requerem processos de fabricação exigentes. Além do alojamento dos componentes descritos, o cabeçote deve assumir as seguintes tarefas:
    • Vedação da câmara de combustão
    • Absorção das forças de combustão
    • Alimentação das peças móveis do comando das válvulas
    • Evacuação do calor mediante canais de água de refrigeração e refrigeração líquida em motores resfriados por água ou através de aletas de refrigeração amplas (ventoinhas) em motores refrigerados a ar.
  • O processo de combustão no cilindro exerce uma força elevada sobre o cabeçote. Por conseguinte é necessário cumprir os torques e a sequência de aperto dos parafusos do cabeçote.
  • A sequência de aperto dos parafusos do cabeçote é importante para evitar deformações. Se as prescrições do fabricante não forem respeitadas, podem ocorrer deformações prejudiciais no cabeçote, no cilindro da vedação do cabeçote ou nos anéis de assento da válvula.

Modelos

Cabeçotes para automóveis

  • Estão disponíveis na versão de ferro fundido cinzento ou alumínio, conforme o tipo de motor.
  • Podem ser adquiridos sob a forma de cabeçote pelado (com anéis de assento e guias de válvula), como cabeçote com válvulas e molas das válvulas montadas ou como cabeçote completo com válvulas e eixos comando, conforme o necessário e para facilitar a reparação.

Cabeçotes individuais

  • Os cabeçotes individuais são usados em muitos motores para veículos utilitários.
  • Consoante o tipo de construção do motor são utilizados cabeçotes resfriados por água em ferro fundido cinzento ou cabeçotes refrigerados a ar em alumínio.
  • Eles têm a vantagem de poderem ser substituídos individualmente em caso de dano.

Cabeças duplas

As cabeças duplas são usadas sobretudo em motores de automóveis, bem como em motores para veículos utilitários. Os motores em V com cabeçotes múltiplos possuem um cabeçote por cada linha de cilindro. Nos motores com cabeças duplas, os eixos comando estão frequentemente instalados no cabeçote. Do ponto de vista construtivo, os motores com cabeças duplas são sempre resfriados por água.

Cabeçotes resfriados por água

À parte de poucas exceções, os motores modernos são resfriados por água. Regra geral, uma mistura de água e produto anticongelante e anticorrosão serve de refrigeração líquida.

Vantagens:

  • A refrigeração líquida consegue absorver e evacuar quantidades de calor maiores.
  • Os canais de refrigeração entre os cilindros e no cabeçote permitem uma refrigeração mais eficiente no interior do motor.

    Cabeçotes refrigerados a ar

    O ar é soprado diretamente sobre o motor. Os cilindros e os cabeçotes dos motores refrigerados a ar possuem aletas de refrigeração para aumentar a superfície dissipadora de calor.

    Vantagens:

    • Método de construção mais simples e barato
    • Funcionamento confiável
    • Peso menor
    • A refrigeração líquida não congela com temperaturas exteriores baixas

     

    Válvulas de estrangulamento constante

    Todos os ônibus a partir de 5,5 t e todos os veículos utilitários acima de 9 t deverão dispor de um freio permanente. No caso do freio com regulador de pressão constante ou freio de descompressão é aberta uma válvula adicional no final do ciclo de compressão. Os gases a serem comprimidos são aspirados para uma câmara separada e, em seguida, voltam a ser encaminhados para a câmara de combustão ou diretamente para o tubo de escape. Assim não é exercida uma pressão nova sobre o virabrequim no ciclo de combustão e não se gera qualquer nova força motriz. A válvula é acionada por via pneumática ou hidráulica. O regulador de pressão constante permite alcançar uma potência de frenagem de 14–20 kW por cada litro de cilindrada.