Bielas em foco

  • As bielas unem o virabrequim aos pistões e assim transferem a pressão dos gases e as forças de massa para o moente do virabrequim. A biela faz subir e descer o pistão no cilindro.
  • O pequeno pé da biela indiviso do lado do pistão para apoio do pino de pistão possui uma bucha de apoio de biela em bronze.
  • A biela fica apoiada no moente do virabrequim através de bronzinas de biela. O pé da biela grande é está dividido para a montagem no virabrequim. Para alimentar o pino de pistão com óleo lubrificante, a biela vem frequentemente munida de um furo entre os pés pequeno e grande.
  • A biela é forjada ou fundida em aço, sendo empregue aço ligado ou temperado e revenido consoante a exigência.
  • As bielas têm de ser substituídas, se estiverem quebradas ou empenadas ou caso seus mancais sejam destruídos. Se as outras bielas não apresentarem danos, poderá trocar as bielas também individualmente nos motores para utilitários.

Estrutura

1 Pé da biela pequeno
2 Bucha de biela (falta no desenho)
3 Furo de óleo
4 Furo base das bronzinas
5 Tampa do mancal
6 Parafuso da biela
7 Pé da biela grande

Componentes

Cabeça de biela

O pé da biela pequeno e a bucha de biela correspondem à cabeça de biela. O pistão está ligado à cabeça de biela por meio do pino de pistão.

Haste da biela

A haste da biela une a cabeça de biela à base da biela. A haste da biela apresenta, a maioria das vezes, um corte transversal em forma de duplo T. Muitas bielas dispõem de um canal de óleo através do qual o pé da biela pequeno é alimentado com óleo pressurizado.

Base da biela

A parte inferior da biela, que envolve os colos da bronzina de biela do virabrequim, é designada por base da biela.

As áreas de separação do pé da biela grande

podem ser lisas, dentadas ou trincadas. A tampa do mancal da base da biela é fixada com dois parafusos de biela.

Modelos

Divisão reta e divisão oblíqua

No caso de moente muito amplos, as bielas podem estar divididas obliquamente. A posição oblíqua é necessária para poder empurrar as bielas através do furo do cilindro apesar do pé da biela grande. No caso de bielas divididas obliquamente deverá atender-se à posição de montagem, nomeadamente nos motores em linha.

Áreas de separação trincadas

As bielas trincadas são, de início, fabricadas inteiriças, munidas em seguida de estrias (bielas sinterizadas) ou de um entalhe a laser (bielas de aço) e depois partidas especificamente em duas peças (trincar). Ambas as peças são parafusadas durante a montagem da biela e podem ser unidas com exatidão graças ao ponto de quebra. A biela e sua tampa deverão ser utilizadas sempre em conjunto devido à geometria de quebra individual, não podendo ser trocadas separadamente. As bielas trincadas são vantajosas no que respeita à resistência, aos custos e à precisão de fabricação. Após a montagem, as áreas de separação são quase invisíveis. A biela e sua tampa assentam uma na outra de forma muito exata, permitindo a melhor transmissão de força possível.

Áreas de separação fresadas ou lixadas

O corte ou a serragem constituiu outro processo para fabricar tampas de bronzina de biela. O pé da biela grande é serrado e as áreas de separação são depois fresadas e, se necessário, lixadas. Com as áreas de separação planas, as tampas de bronzina de biela são fixadas mediante parafusos ou pinos de ajuste. As áreas de separação dentadas não precisam de ser fixadas adicionalmente graças ao dentado.

Bielas paralelas e bielas trapezoidais

As pressões de combustão, que não param de aumentar, provocam cargas cada vez maiores no alojamento do pino de pistão das bielas. A superfície de apoio das buchas de apoio de biela foi aumentada por intermédio de bielas trapezoidais para absorver melhor as forças mais elevadas.

Linha de produtos

Bielas paralelas e trapezoidais

  • trincadas
  • dentadas
  • lisas

Acessórios:

  • bronzinas de biela
  • parafusos de biela